segunda-feira, 7 de maio de 2012

QUAL SUA VERDADEIRA MOTIVAÇÃO?

Por Rick Boxx O livro de Seth Godin, Linchpin, inclui um fascinante capítulo sobre generosidade, complementado por uma história bíblica. Este brilhante marqueteiro oferece uma perspectiva diferente sobre dar, estimulando os líderes a serem generosos, não com dinheiro, mas com seus talentos. Ele divide as pessoas em três categorias. A primeira consiste daqueles que desejam somente ser receptores. A terceira é composta por pessoas generosas, mas que deixam evidente que você lhes deve algo em troca. O terceiro grupo é generoso, simplesmente porque amam você e se preocupam com seus interesses. Enquanto pensava sobre as observações de Godin percebi como é fácil se enquadrar na segunda categoria. Podemos optar por doar nossos talentos e habilidades, mas lá no fundo ficamos imaginando, “O que eu ganho com isso?” Por isso a Bíblia afirma repetidas vezes que Deus se preocupa tanto com “o quê” como com o “por quê” de nossas ações, inclusive nossos atos e gestos caritativos. Provérbios 16.2 ensina,“Você pode pensar que tudo o que faz é certo, mas o Senhor julga as suas intenções”. Outra passagem ressalta que embora possamos ser enganados pelo comportamento exterior, Deus reconhece o que se passa por dentro: “...Eu [Deus] não julgo como as pessoas julgam. Elas olham para a aparência, mas Eu vejo o coração” (I Samuel 16.7). Poucas pessoas alcançam o padrão estabelecido pelo empresário e inventor R. G. LeTourneau, verdadeiro coração doador. De 1920 a 1960 ele desenvolveu e vendeu maquinários para movimentação de terra. Ficou conhecido como “O Rei da Movimentação de Terra” e considerado o maior inventor da maquinaria pesada capaz de transformar a paisagem. Mesmo com suas realizações nos negócios, sua reputação de pessoa generosa era ainda maior. Usar seus talentos em auxílio de outras pessoas lhe dava muita alegria. Por anos LeTourneau praticou o que poderia ser chamado de “dízimo ao contrário”. Dizimava 90% de seus lucros e vivia com 10%, ao invés de doar 10% dos ganhos, o que muitos consideram ser o “dízimo bíblico”. Via alegremente milhões de dólares passarem de seus negócios para o trabalho beneficente, boa parte usada para fundar grandes ONGs mundiais para satisfazer necessidades físicas e espirituais. II Coríntios 8.7 ensina: “Todavia, assim como vocês se destacam em tudo: na fé, na palavra, no conhecimento, na dedicação completa e no amor que vocês têm por nós, destaquem-se também neste privilégio de contribuir”. A despeito de suas realizações nos negócios, muitos podem não reconhecer o nome de LeTourneau. Entretanto, embora tenha morrido em 1969, posso garantir que muitas pessoas continuam a ser beneficiadas por sua generosidade. Inúmeras organizações e instituições que ele ajudou a sustentar continuam a fazer um trabalho digno ainda hoje. Isto, e não a maquinaria por ele desenvolvida é o seu grande legado. Deixe-me fazer-lhe algumas perguntas importantes: (1) Você tem examinado sua motivação? (2) Mesmo sendo generoso com seus talentos e com seus recursos financeiros, você dá pelos motivos corretos? (3) Por que legado você será lembrado? Próxima semana tem mais!