domingo, 9 de setembro de 2012

MUTIRÃO DA SAÚDE.



A excelente reportagem do OPOVO (07.11.11 – p. 4) sobre as emergências médicas de Fortaleza: “ Superlotação nos corredores”, apresenta dados alarmantes: Instituto José Frota (IJF) – Leitos de emergência – 40; no corredor – 156; Hospital Geral de Fortaleza (HGF) – Leitos de emergência – 96; no corredor – 70; Hospital de Messejana (HM) – Leitos de emergência – 100; no corredor – 25; Hospital Infantil Albert Sabin (Hias) – leitos de emergência – 12; no corredor – 6. Resumindo – 248 – leitos de emergência; 256 – macas nos corredores; 504 – pacientes buscando socorro médico.

 Mesmo existindo propostas de solução a longo prazo – novos hospitais, novos postos de saúde, novas policlínicas… – tudo aquilo que o Governo vende em páginas e mais páginas dos jornais e na televisão, não serve para aqueles que nesse momento sofrem encima de uma maca dos corredores.

 Quando se fala emergência, significa – Pronto Atendimento, Imediato Atendimento. Não dá para esperar. Nesses casos, temos que encontrar solução agora. Por que os Governos -municipal e estadual – não realizam um mutirão? É uma situação de calamidade pública. Isso é possível – zerar as emergências já! Basta existir vontade política…