quarta-feira, 12 de setembro de 2012

A Alegria de dar, é maior do que receber.



“Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos e recordar as palavras do nosso Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber.” (At. 20.35)

A cultura egocêntrica que vem prevalecendo em nossos dias ensina que temos de levar vantagens em tudo. Ganhar tudo o que puder, por todos os meios, de todas as formas e de todas as pessoas, para o nosso próprio deleite. Os ensinamentos bíblicos reprovam tais praticas, mesmo que o mundo as aplauda.

 O apóstolo Paulo quando do seu discurso para a liderança da igreja em Éfeso, utilizou as palavras de Jesus para mostra-lhes esta grande verdade que mais bem aventurado é dar do que receber, isso parece um contra-censo. Alguém já disse que “o dar não é tanto uma questão de quanto dinheiro temos nas mãos, mas quanto de amor temos no coração.” A semente que comemos ou guardamos não pode se multiplicar, o que damos, porém é como uma sementeira que se multiplica, quanto mais semeamos mais colhemos.

 Quem aprendeu a semear é prova que aprendeu a amar, pois o amor tem mais prazer em dar que receber. Conhecemos a historia de Zaqueu em Lucas 19.8 vemos a sua generosidade já na sua conversão. Talvez Zaqueu tenha aprendido mais rápido que muitos dentre nós, que ainda não tiveram os o bolso “convertido”. É necessário compreender que Deus é a fonte de todo bem, pois Ele é quem nos dar a vida, a saúde, a inteligência, e nos capacita para adquirir os recursos necessários, afinal de contas É Ele quem derrama sobre nós bênçãos sem medidas (Ma 3.10).

 Contribuir não é um ato que deve ser feito com tristeza, pois Deus ama ao que dá com alegria (2º cor 9.7). Receber algo de alguém é uma benção e nos proporciona uma grande felicidade, mas Jesus disse que a alegria de dar é maior do que a de receber. Deus nos livre de sermos contaminados com a cultura do egocentrismo, mas que estejamos sim prontos a aprender e praticar os ensinamentos do nosso Senhor, então pensaremos mais nos outros do que em nós mesmos, e assim promoveremos a glória de Deus.

 Quero concluir com uma citação do reverendo Hernandes Dias Lopes: “Não Há bolso em mortalha nem caminhão de mudança em enterro. Nossos tesouros não podem acompanhar-nos nem nos valer na viagem que faremos para a eternidade”. No amor de Cristo. 

Pr.Cícero.