domingo, 23 de setembro de 2012

Cardeal católico critica o uso da igreja como 'curral eleitoral'



O Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, apelou aos candidatos à prefeitura de São Paulo para que não usem as igrejas como “currais eleitorais”, durante um colóquio nesta nesta quinta-feira.

 “Não aprovamos que nossas igrejas sejam transformadas em currais eleitorais, ou que também nossas comunidades religiosas imponham os votos aos católicos”, afirmou.

 O colóquio foi realizado na Arquidiocese de São Paulo e contou com a presença de Gabriel Chalita (PMDB), Jose Serra (PSDB), Soninha Francine (PPS) e Fernando Haddad (PT). O candidato Celso Russomano (PRB), entretanto, não compareceu à reunião.

 A ausência de Russomano se deu depois de uma tentativa de marcar uma reunião particular com dom Odilo, antes do colóquio, mas o cardeal não aceitou. Russomano queria explicar seu posicionamento diante das críticas católicas ao chefe de campanha do partido, Marcos Pereira, que é também bispo licenciado da Igreja Universal.

 Odilo afirmou que considera que “a manipulação e a instrumentação da religião em função da busca do poder político não são um bem para sociedade e não são coerentes com os princípios de liberdade de consciência e do legítimo pluralismo no convívio dos cidadãos.

” "Esse papel, esse poder de fazer a propaganda, de se mobilizar para fazer a mobilização de algum candidato cabe especificamente aos fieis leigos, aos cristão leigos dentro da igreja.

" Polêmica entre igreja católica e Marcos Pereira.

 A igreja católica criticou na semana passada o bispo Marco Pereira, da Igreja Universal, que é o coordenador da campanha do PRB, por ter associado o conhecido “kit gay” à influência da igreja católica, em um texto publicado no ano passado.

 Marcos Pereira respondeu à situação escrevendo em seu blog que tinha apenas manifestado a sua liberdade de expressão e que respeita os direitos individuais de credo. Ele disse ainda que lamenta que o exercício de pensamento tenha voltado à tona de maneira indevida às vésperas da eleição para a prefeitura de São Paulo. O The Christian Post tentou contato com o bispo para comentários sobre o assunto, mas a comunicação não foi possível.

 O cardeal lamentou a ausência de Russomano na reunião mas disse que foi uma “escolha dele.

” "Foi uma pena ele não ter vindo, mas foi uma escolha… uma escolha dele", disse ele em conversa com o senador Eduardo Suplicy.

 Fonte: The Christian Post | Divulgação: Midia Gospel