sexta-feira, 19 de outubro de 2012

A Árvore da Vida.


 O sucesso humano começa na Cruz. Ela é a fonte do princípio ético espiritual e moral. Primeiro o espiritual, depois o moral. Se há princípio espiritual, haverá princípio moral. Se há temor a Deus, haverá amor, fidelidade, respeito, honra, consideração e cumplicidade no casamento. O caráter espiritual é refletido no caráter moral.

 A Cruz guia o espiritual e o moral. A haste vertical relaciona o homem a Deus. Esta coluna é estabelecida no Primeiro Mandamento da Lei de Deus: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento”, disse Jesus. Mateus 22.37.

Em termos práticos, significa que o Senhor Deus tem de ocupar o Primeiro Lugar na vida humana, ser o Centro da atenção, da consideração, do respeito, da fidelidade e do temor.

 Ele não aceita dividir tal posição com ninguém. Por isso, Jesus foi enfático ao dizer:

 “Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a Mim não é digno de Mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a Mim não é digno de Mim; e quem não toma a sua cruz e vem após Mim não é digno de Mim.

Quem acha a sua vida perdê-la-á; quem, todavia, perde a vida por Minha causa achá-la-á.” Mateus 10.37-39.

 Estabelecido esse princípio de fé, o próximo passo é a formação dos braços da Cruz. O Segundo Grande Mandamento, semelhante ao Primeiro, é: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” Mateus 22.39 Qual pessoa é a mais próxima da outra a não ser o marido ou a esposa?

 Portanto, os braços da cruz são compostos por duas partes: a mulher e o marido. Porém, essas partes têm de ser extraídas da haste vertical, para que a cruz seja construída com a madeira da mesma árvore: a Árvore da Vida.

 Uma vez estabelecida a Cruz na vida de alguém, este alguém, indubitavelmente, será como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido. Salmo 1.3.

   Que o Senhor Jesus abençoe a todos abundantemente!

 Atenciosamente, Evangelista Alexandre Nunes –