domingo, 30 de dezembro de 2012

Pastor Youcef Nadarkhani é preso no Irã durante o Natal

Pr. Youcef Nadarkhani esteve na
Conferência Nacional da CSW em Londres, em novembro deste ano

O pastor Youcef Nadarkhani foi preso novamente no dia de Natal no Irã. Após ficar três anos detido, sob sentença de morte por apostasia, ele foi libertado em setembro deste ano.

 Segundo a site do Centro Americano de Lei e Justiça (ACLJ, sigla em inglês), em um movimento claramente malicioso, o pastor foi arrancado de sua esposa e filhos no dia de Natal. Ele foi enviado para a prisão de Lakan, em Rasht, local onde cumpriu pena anteriormente.

 A alegação das autoridades desta vez é que ele deve completar o restante de sua sentença. Segundo o site The Christian Post, o diretor da prisão de Lakan, disse que o pastor havia sido liberado antes do tempo por causa da insistência de seu advogado, Mohammed Ali Dadkhah.

 Em um flagrante desrespeito ao direito internacional, o governo iraniano está aprisionando pela segunda vez o pastor Youcef, devido sua fé em Cristo. “O Irã está perseguindo cada vez mais os cristãos e qualquer um que esteja disposto a defendê-los”, declarou o site da ACLJ.

 Prova dessa perseguição foi a prisão do advogado iraniano do pastor Youcef, Mohammed Ali Dadkhah, que teve papel fundamental em sua libertação. “Confirmamos que sua saúde está se deteriorando rapidamente devido as condições desesperadas de sua prisão. Ele foi preso logo após a libertação de Youcef, em aparente retaliação por sua defesa dos direitos humanos contra os ataques do regime islâmico radical iraniano”, divulgou a ACLJ.

 Ainda segundo a ACLJ, outro pastor, o americano Saeed Abedini, permanece preso no Irã, simplesmente por causa de sua fé cristã.

 Em novembro deste ano, o pastor Youcef Nadarkhani esteve na Conferência Nacional da Christian Solidarity Worldwide (CSW), em Londres, como convidado especial. Na ocasião, ele agradeceu as orações e as campanhas realizadas em favor de sua libertação.

 O pastor Youcef também disse que acreditava ter sido posto à prova, assim como o ouro, para ser refinado e aprovado pelo Senhor.

Fonte: ACLJ e TCP