quarta-feira, 21 de março de 2012

Sinto, logo.... transcrevo. ( Dia dos portadores da Síndrome de Down.)

QUARTA-FEIRA, 21 DE MARÇO DE 2012


Ao Bibi

Hoje é o dia Internacional da Síndrome de Down. Não, esses dias 'especiais' não existem para comemorarmos uma doença, mas para nos lembrar que precisamos deixar nosso preconceito de lado e amar as pessoas como elas realmente são.
Resolvi escrever hoje em homenagem a alguém que jamais esquecerei e que tem lugar guardado no meu coração e doces lembranças.
Jonas Lazarim, a quem carinhosamente chamo de Bibi, entrou em minha vida em 2003 quando fui para JOCUM - Recife fazer ETED (Escola de Treinamento, Evangelismo e Discipulado) à época ele tinha apenas 11 anos. Filho de Tio Jr. e Tia Rita, casal que juntamente com as irmãs mais velhas dele, Roberta e Débora, me adotaram como sendo da família no tempo em que vivi ali.
Vez ou outra conto em risos, histórias protagonizadas por ele, como no dia em que ele me 'convidou' para 'fumar' lápis de giz de cera! Ou como entrou dentro de uma Kombi e invadiu mata a dentro porque o carro não estava com o freio de mão levantado, ou como invadia o quarto dos meninos e pegava o violão pra 'tocar' deixando o dono maluco ou como adorava dar susto na gente!
Também era emocionante ver sua paixão por instrumentos, principalmente bateria, mas eu ficava com o coração na mão, pois Jonas é surdo, e eu sabia que possivelmente se ele escutasse seria um exímio baterista. Mas além da paixão pela música que nunca ouvira, ele sabia de cor todas as pantomimas que fazíamos, todos os personagens! Era incrível como ele conseguia lembrar de todos os pequenos detalhes!
O tempo passou e Jonas cresceu, hoje é um rapaz de 20 anos, mas mantêm dentro de si aquela chama de menino travesso e amoroso.
Faz anos que não o vejo, mas mantenho contato com a família Lazarim por meios das Redes Sociais e vez ou outra me deparo e me emociono com as proezas do Bibi, como esse vídeo ai embaixo que me deixou às lágrimas quando o assisti...
Viva o Bibi, viva a todos os outros que tentam e superam aquilo que consideramos 'especial', mas que na verdade de 'especial' não têm nada, o tal de 'especial' são eles participarem da nossa história...
Bianka Jones